Empresas sustentáveis são mais competitivas – Sustentabilidade Empresarial

Sustentabilidade Empresarial = Maior competitividade

Sustentabilidade Empresarial Uma empresa sustentável é mais competitiva em seu mercado porque é capaz de aumentar as suas margens de lucro ou reduzir o preço de venda, já que seus custos fixos são menores. Além disso, contam com um diferencial em um momento em que os consumidores estão cada vez mais conscientes e preocupados em diminuir seu impacto no meio ambiente.

A Natu’sfran, empresa que produz buchas vegetais na cidade de Franca, enxergou um novo nicho de mercado a partir da sobra de resíduos, que sempre foi muito alta em seu processo produtivo. Rosangela de Andrade, sócia da empresa ao lado do marido, conta que desde o começo do empreendimento havia uma preocupação grande com essas sobras. “Começamos a pesquisar soluções para os resíduos e desenvolvemos o xaxim de bucha, que estamos chamando de ‘Buxaxim’”, conta a empreendedora, que antes utilizava as sobras como cobertura para o solo na plantação de bucha vegetal. “Nosso desperdício sempre foi mínimo. A diferença agora é que descobrimos uma forma de transformar o resíduo em um novo produto”.

Sendo fornecedora de uma grande rede de supermercados, que comercializa suas buchas como marca própria em 22 estados brasileiros, a Natu’sfran percebeu que, em breve, a sustentabilidade vai deixar de ser um adicional para as empresas. “Temos que nos adequar porque o que hoje é um diferencial competitivo para a empresa, num futuro próximo será o padrão exigido pelo mercado”, avalia a empresária.

 

Reciclar o lixo, reduzir desperdício, economizar água e energia elétrica. São pequenas ações que, inseridas no ambiente de uma micro ou pequena empresa, podem significar muito, especialmente quando a empresa passa a ser reconhecida pela sua preocupação ambiental e faz da sustentabilidade um elemento de competitividade. “O uso racional dos recursos reduz os custos e, consequentemente, aumenta a lucratividade”, afirma Dorli Martins, consultora do Sebrae-SP.

É o caso da empresa Feitiços Aromáticos, sediada na zona leste em São Paulo, eleita a segunda empresa de cosméticos mais sustentável pelo ranking As 100 empresas mais sustentáveis segundo a mídia de 2012. A empresa aparece na classificação à frente de grandes marcas nacionais e internacionais.

Raquel Cruz, proprietária, conta que realiza ações simples: “fizemos uma parceria com uma cooperativa de coleta seletiva para que recolhesse nossos resíduos recicláveis e convidamos a comunidade ao redor para reciclarem também o lixo doméstico. No escritório, todos os funcionários do setor administrativo têm suas próprias garrafas de água, evitando o desperdício de copos de plástico. Além disso, todos os documentos que são picados, quando não são reciclados, se transformam em preenchimento de caixas para proteger os produtos durante o transporte”.

A empresa mudou de endereço e, ao reformar o prédio, projetou novas janelas para permitir maior luminosidade no espaço e pintou todas as paredes e o teto de branco para ajudar na claridade. Além disso, foram instaladas torneiras com temporizador e sanitários com descarga dupla. A economia de energia elétrica e água foram consideráveis no custo fixo da empresa.

“Temos reuniões frequentes com os colaboradores para sensibilizá-los quanto ao desperdício e as pequenas mudanças que nós, como pessoas, podemos fazer não só no ambiente de trabalho, mas também em nossas casas”, comenta Raquel, que ainda reforça: “são pequenas ações a custo zero que trazem um retorno muito positivo para a nossa marca”.

 

MPEs e sustentabilidade
Confira os principais resultados do estudo do SEBRAE O que pensam as micro e pequenas empresas sobre sustentabilidade:

– 54% dos empresários brasileiros não percebem a sustentabilidade dos seus negócios como uma “oportunidade de ganhos;

– 83,4% não realizam captação de água da chuva e/ou reutilização de água;

– 49,1% dos entrevistados fazem reciclagem de pilhas, baterias ou pneus;

– Apesar de mais da metade dos entrevistados não verem a sustentabilidade como uma “oportunidade de ganho”, muitos realizam ações com foco na sustentabilidade, como coleta seletiva de lixo (70,2%), controle do consumo de papel (72,4%), controle do consumo de água (80,6%) e controle do consumo de energia (81,7%).

** A sondagem foi realizada com mais de 3,9 mil empreendedores de todo o Brasil.

 

Fonte: Sebrae

Comente

*

captcha *